UE cobra explicações da Itália sobre Lampedusa

Comissária advertiu a Itália de que as imagens do tratamento de desinfecção no centro de acolhimento de imigrantes de Lampedusa são inaceitáveis

Bruxelas – A comissária para Assuntos Internos da União Europeia, Cecilia Malmstrom, advertiu nesta quarta-feira (18) a Itália de que as imagens do tratamento de desinfecção no centro de acolhimento de imigrantes de Lampedusa são “assustadoras e inaceitáveis” e que já foi iniciada uma investigação para apontar os responsáveis pelo fato.

“Nós não hesitaremos em abrir um procedimento de infração para que os padrões europeus sejam respeitados”, declarou.

Ela ainda acrescentou que irá entrar em contato com as autoridades italianas para pedir explicações sobre o caso. “A nossa assistência para a Itália na gestão dos fluxos migratórios pode continuar somente se o país garantir condições humanas e dignas no recebimento de imigrantes, solicitantes de asilo e refugiados”, salientou.

Exibido na noite de segunda-feira (16) pelo programa Tg2, o vídeo mostra um grupo de estrangeiros nus – apesar do frio – e com os braços abertos sob os olhos de todos passando por um processo de desinfecção contra a sarna. O “tratamento” é aplicado por funcionários que espalham o desinfetante pelo corpo da pessoa por meio de uma mangueira.

Segundo Cono Galipò, administrador da cooperativa Lampedusa Accoglienza, responsável pela gestão do centro, as imagens estão fora de contexto e o procedimento realizado está previsto em protocolo. “O tratamento estava ocorrendo há uma hora e meia e, em certo momento, algumas pessoas perderam a paciência, tiraram as roupas e claramente encenaram aquilo que se vê”, completou.