UE aprova sanções contra acusados de atentado a embaixador saudita

Os ativos financeiros de cinco suspeitos foram congelados em todo território da UE, o que impede a obtenção de fundos nos países da Eurozona

Bruxelas – A União Europeia aprovou nesta sexta-feira sanções contra cinco pessoas supostamente envolvidas no complô iraniano para tentar assassinar o embaixador saudita nos Estados Unidos.

Os ativos financeiros dos suspeitos foram congelados em todo território da UE, o que impede a obtenção de fundos nos países da Eurozona.

Um comunicado do Conselho das UE afirmou que os 27 membros da organização contribuirão da melhor maneira possível nas investigações. Os nomes e os cargos das cinco pessoas acusadas serão publicados no Diário Oficial da UE neste sábado, quando as medidas entram em vigor.

A União Europeia advertiu na semana passada que o Irã sofreria ‘grandes consequências’ se fosse confirmada sua participação na tentativa de assassinato do embaixador.

A ‘suposta participação de iranianos e da Guarda Revolucionária é um ato grave que pode desencadear ‘sérias implicações internacionais’, afirmou uma porta-voz da UE.

As sanções europeias foram anunciadas um dia depois da justiça de Nova York ter acusado formalmente dois homens de participação na tentativa de atentado contra o embaixador Adel al-Jubeir.