Ucrânia impõe bloqueio comercial à região da Crimeia

O chefe do governo precisou que a proibição não é extensiva a objetos de uso pessoal, a algumas mercadorias de primeira necessidade e à ajuda humanitária

Kiev – O governo da Ucrânia decidiu nesta quarta-feira impor um bloqueio comercial à península da Crimeia, anexada pela Rússia em março de 2014.

“Por decisão do governo da Ucrânia, ficam proibidos as provisões de serviços e mercadorias desde e para a Crimeia”, escreveu em sua conta no Twitter o primeiro-ministro ucraniano, Arseni Yatseniuk, que acrescentou que a medida entrará em vigor em um prazo de 30 dias.

O chefe do governo precisou que a proibição não é extensiva a objetos de uso pessoal, a algumas mercadorias de primeira necessidade e à ajuda humanitária.

Quanto às provisões de energia elétrica à Crimeia, Yatseniuk ressaltou que poderão ocorrer se forem autorizadas pelo Conselho de Segurança Nacional e Defesa da Ucrânia.

A península da Crimeia não está unida por terra à Rússia, por isso que depende em grande medida das provisões da Ucrânia.

Recentemente, o corte da provisão ucraniana de energia elétrica à Crimeia deixou sem luz cerca de dois milhões de pessoas, quase a totalidade de população da península, cujas autoridades se viram obrigadas a declarar o estado de emergência.

A medida tomada por Kiev reativará as tensões com Moscou, que já Rússia ameaçou a Ucrânia com um embargo comercial a partir de janeiro por sua decisão de apoiar as sanções ocidentais ao país pela anexação da Crimeia.

Além disso, Moscou anunciou que empreenderá ações judiciais contra Kiev se não houver o pagamento de uma dívida de US$ 3 bilhões contraída pelo governo do derrubado presidente Viktor Yanukovich e que as atuais autoridades ucranianas consideram um suborno para bloquear o Acordo de Associação entre Ucrânia e a União Europeia.