Ucrânia denuncia fogo de artilharia vindo da Rússia

Ucrânia denunciou que suas tropas estão sendo alvo de fogo de artilharia vindo do território da Rússia

Kiev – A Ucrânia denunciou nesta terça-feira que suas tropas no leste do país estão sendo alvo de fogo de artilharia vindo do território da Rússia, ações militares qualificadas “de agressão contra o Estado” ucraniano.

“Nossas tropas são atacadas a partir do território da Rússia. Hoje podemos dizer que (o presidente russo, Vladimir) Putin não para. A Rússia continua dando armas aos guerrilheiros e enviando mercenários” para o leste da Ucrânia, disse o chefe do Conselho de Segurança Nacional e Defesa ucraniano, Andrei Parubi.

Segundo Kiev, só nas últimas 24 horas foram realizados, a partir do território russo mais de 40 disparos de morteiro e também com lança-mísseis de boca múltiplos “Grad” (Granizo) contra a fronteira ucraniana na cidade de Luganskaya, na região de Lugansk.

As autoridades ucranianas também denunciaram fogo de artilharia vindo da Rússia contra um posto da Guarda Nacional junto à cidade de Novoazovsk, no mar de Azov, em uma zona controlada pelo exército de Kiev e afastada dos combates entre as forças ucranianas e os separatistas pró-russos.

“Nas últimas semanas, os visíveis sucessos de nossas operações levaram a uma mudança na tática da Rússia e seus guerrilheiros. A Rússia aumentou as provisões de blindados pesados e sistemas de artilharia, entre eles lança-mísseis de bocas múltiplas” para os separatistas, disse Parubi.

O secretário-geral do Conselho de Segurança ucraniano também se referiu ao envio a partir da Rússia “de sistemas de defesa antiaérea”, capazes de derrubar aviões a grande altura, que poderia ter derrubado o Boeing 777 da Malaysia Airlines que caiu no leste da Ucrânia com 298 passageiros a bordo em uma área controlada pelos pró-russos.

“Também vemos que os terroristas disparam contra o território da Rússia e em resposta nossas posições são atacadas. Já sob a cobertura desse fogo contra nós, as colunas de blindados tentam entrar em território da Ucrânia pela Rússia”, disse Parubi.

Kiev também denunciou uma nova concentração de tropas e blindados russos ao longo de praticamente toda a fronteira compartilhada entre os dois países, incluída a península da Crimeia, anexada por Moscou o mês passado de março.

Segundo Parubi, mais de 40 mil soldados russos e 500 veículos blindados, entre eles 150 tanques, se concentram na fronteira com a Ucrânia.

A Ucrânia e parte da comunidade internacional fizeram fortes críticas nos últimos dias ao apoio russo aos separatistas pró-russos que atuam no leste da Ucrânia, suspeitos de estarem implicados no queda do avião malásio.