Ucrânia acusa separatistas por morte na Cruz Vermelha

Embaixador ucraniano alertou que os rebeldes pró-Rússia estão violando o acordo de cessar-fogo com ataques armados

Nações Unidas – O embaixador da Ucrânia na ONU, Yuriy Sergeyev, culpou nesta sexta-feira os separatistas pró-Rússia pelo bombardeio que na última quinta-feira causou a morte de um funcionário suíço do Comitê Internacional da Cruz Vermelha em Donetsk e exigiu que os responsáveis sejam levados à Justiça.

As palavras de Sergeyev chegam depois que tanto os insurgentes quanto a Rússia garantiram que o Exército ucraniano foi responsável por disparar o projétil que atingiu o escritório da Cruz Vermelha e matou o subdiretor da missão da organização em Donetsk, Laurent DuPasquier.

Sergeyev, em entrevista coletiva na sede da ONU, assegurou que DuPasquier foi vítima de “outro ato de terrorismo perpetrado pelos militantes pró-Rússia”.

“Este ato terrorista não tem justificativa”, disse o embaixador ucraniano, que acusou os rebeldes de atacar de forma “bárbara” àqueles que viajaram para Ucrânia para oferecer apoio à população.

Segundo Sergeyev, “todas as organizações e indivíduos envolvidos neste crime devem ser levados à Justiça”.

Além disso, o embaixador ucraniano alertou que os rebeldes pró-Rússia estão violando o acordo de cessar-fogo com ataques armados e acusou a Rússia de continuar armando esses grupos.

Forças governamentais e milícias pró-Rússia protagonizam, desde ontem, combates no aeroporto internacional de Donetsk, o que ameaça a frágil trégua na região.