Ucrânia acusa Rússia de derrubar avião da Malaysia Airlines

Segundo comunicado oficial, o local da queda é considerado pela defesa aérea russa como uma região de proteção da milícia pró-Rússia

São Paulo – O governo ucraniano acaba de responsabilizar militares russos pela queda do Boeing 777 da Malaysia Airlines em comunicado oficial publicado nesta quinta-feira no site do jornal britânico “The Telegraph”. O voo MH17 partiu do aeroporto de Amsterdã-Schiphol nesta quinta-feira e caiu no leste da Ucrânia com 295 pessoas a bordo.

O texto informa que, segundo general das Forças Armadas da Ucrânia, o avião foi derrubado por um sistema de míssil russo quando a aerenove voava a 10 mil metros de altitude. De acordo com o comunicado, a Ucrânia não possui um sistema de defesa aérea de alto alcance na área do ataque.

O governo ucraniano indicou ainda o motivo para que os russos tenham abatido o avião. O local da queda é considerado pela defesa aérea russa como uma região de proteção aos “mercenários e terroristas” da Rússia, segundo a nota.

De acordo com as autoridades ucranianas, o líder dos pró-Rússia, Igor Girkin, comentou imediatamente a queda parecendo acreditar que um avião ucraniano havia sido abatido. “Torez An-25 foi derrubado, seus restos caíram em algum lugar da mina ‘Progress’. Nós avisamos a todos: não voem no nosso espaço aéreo”, postou Girkin em sua página na internet.

O governo prometeu que mostrará mais evidências da responsabilidade russa no ataque.

Donesk, no leste do país, onde o avião caiu, é palco de confrontos entre as milícias separatistas pró-Rússia e as autoridades governamentais da Ucrânia.