Usuários burlam proibição de acesso ao Twitter na Turquia

A autoridade de telecomunicações da Turquia informou ter bloqueado o acesso à rede social horas depois de Erdogan ameaçar "arrancar as raízes" do site

Ancara – A tentativa da Turquia de bloquear o acesso ao Twitter parece ter saído pela culatra nesta sexta-feira, com muitos usuários conhecedores de tecnologia contornando a proibição e suspeitas crescentes de que o primeiro-ministro do país, Recep Tayyip Erdogan, usou ordens judiciais para frear acusações de corrupção contra ele e seu governo.

A autoridade de telecomunicações da Turquia informou ter bloqueado o acesso à rede social horas depois de Erdogan ameaçar “arrancar as raízes” do site.

A Turquia já havia bloqueado o acesso ao Youtube, mas essa é a primeira proibição ao Twitter, que é muito popular no país – ao ponto de que hashtags turcas costumam aparecer nos assuntos mais comentados pelo mundo. A rede social foi usada como instrumento para organizar protestos contra o governo do país no ano passado.

Ao meio-dia sexta-feira (horário local), os tweets seguiam inabaláveis porque usuários buscaram instruções online sobre como alterar as configurações para evitar o bloqueio. Um usuário empreendedor espalhou as instruções sobre como burlar os censores desfigurando cartazes sobre as eleições turcas.

O presidente da Turquia, Abdullah Gul, estava entre os que contornaram a proibição, contestada por ele em uma série de tuítes. Gul, que já foi aliado político de Erdogan, se manifestou contra a censura à internet no passado, embora no mês passado tenha aprovado medidas do governo para aumentar o controle sobre a rede. “Eu espero que essa situação não dure muito”, escreveu.

Links para gravações vazadas têm aparecido em duas contas turcas no Twitter, incluindo um áudio no qual uma voz que parece a de Erdogan instrui alguém, que seria o filho do premiê, a tirar grandes quantidades de dinheiro de uma casa em meio a uma investigação policial de corrupção. Erdogan, que nega as acusações de corrupção, disse que as gravações foram fabricadas.

Mais cedo, vários usuários da rede social que tentaram entrar em suas contas viram um aviso da autoridade de telecomunicações da Turquia, citando quatro ordens judiciais para impedir a o acesso.

A associação de advogados da Turquia pediu a um tribunal para derrubar a suspensão, argumentando que era inconstitucional e violava as leis de direitos humanos turcas e europeias. O principal partido de oposição também pediu o cancelamento da medida.

“Estamos com nossos usuários na Turquia que contam com o Twitter como uma plataforma vital de comunicação. Esperamos ter pleno acesso restaurado em breve”, disse a empresa na própria rede social. Mais cedo, o Twitter havia mandado mensagens a usuários turcos em inglês e turco avisando que poderiam enviar tuítes usando serviço de mensagens curtas (SMS). Fonte: Associated Press.