Turquia afirma que nova Constituição manterá laicidade

O presidente do Parlamento, disse que o país "deveria ter um Constituição religiosa", o que provocou um alerta sobre uma intenção de islamizar o país laico

O projeto de Constituição que está sendo elaborado pelo partido conservador-islâmico que governa a Turquia manterá o princípio de laicidade, afirmou o primeiro-ministro Ahmet Davutoglu após a controvérsia provocada pelo presidente do Parlamento, que afirmou algo diferente.

“Na nova Constituição que estamos preparando, vai figurar o princípio de laicidade para garantir a liberdade de culto dos cidadãos e para assegurar que o Estado mantenha uma distância igual para todas as confissões”, afirmou Davutoglu durante um discurso público em Ancara.

O premier disse que o caráter laico e democrático da Turquia “não será questionado” enquanto o Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), no poder desde 2002, governar o país.

O presidente do Parlamento, Ismail Kahraman, disse na segunda-feira que o país “deveria ter um Constituição religiosa”, o que provocou um sinal de alerta sobre uma eventual intenção do AKP de islamizar o país, tradicionalmente laico.

As declarações de Kahrman provocaram protestos nas principais cidades da Turquia na terça-feira. A polícia usou gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar os manifestantes em Ancara e Istambul.

Os comentários do presidente do Parlamento também provocaram uma reação dos partidos da oposição, que pediram a Kahraman que explicasse se havia expressado uma opinião pessoal ou a de seu partido.