Tufão Yutu deixa 10 mil pessoas desalojadas nas Filipinas

Na região de Cagayan, 7,4 mil pessoas tiveram que deixar seus imóveis e procurar um dos 31 abrigos disponíveis na província de Isabela

Manila – Pelo menos 10.122 pessoas foram retiradas de suas casas na ilha de Luzon, no norte das Filipinas, por conta da passagem do tufão Yutu nesta terça-feira, informou o Centro Nacional de Redução de Desastres (NDRRMC).

Na região de Cagayan, onde fica a província de Isabela e por onde o Yutu entrou nesta manhã, 7,4 mil pessoas tiveram que deixar seus imóveis e procurar um dos 31 abrigos disponíveis.

“Estamos preparados para o pior porque o Yutu tem ventos constantes de 205 km/h e sequências de 245 km/h, quase o mesmo nível do tufão Mangkhut, mas felizmente perdeu força antes de entrar no país”, indicou, em entrevista coletiva, o diretor do NDRRMC, Ricardo Jalad.

Às 17h (horário local, 6h em Brasília), o Yutu se deslocava para a região oeste a 25 km/h, com ventos de 125 km/h e sequências de 190 km/h, conforme o boletim mais recente divulgado pela Pagasa, a agência de meteorologia nacional.

O Yutu, que nas Filipinas se chama Rosita, perdeu força no caminho para o Mar da China Meridional, depois de castigar as províncias de Isabela, Benguet e La Unión, ao norte de Luzon.

Os meteorologistas acreditam que o tufão deixe o território filipino nas próximas horas.

De acordo com a imprensa local, Isabela ficou parcialmente isolada após a queda de uma ponte que dá acesso a vários bairros. Além disso, 30 voos foram cancelados e o transporte marítimo em toda a ilha de Luzon foi suspenso.

As zonas atingidas pelo Yutu são as mesmas que em meados de setembro sofreram com o tufão Mangkhut – o mais poderoso desta temporada -, quando fortes chuvas provocaram deslizamentos de terra e deixaram cerca de 100 mortos e desaparecidos.