Tsipras se diz otimista com acordo viável entre UE e Grécia

Novo primeiro-ministro afirmou que a história da UE é composta de desacordos, mas que, no final, também é formada por "compromissos e acordos"

Bruxelas – O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, afirmou nesta quarta-feira acreditar que seu governo conseguirá firmar com a União Europeia (UE) um acordo econômico viável e aceitável para ambas as partes.

“Estou muito otimista de que trataremos de fazer o melhor possível para conseguir uma solução comum, viável e mutualmente aceitável para o nosso futuro”, disse Tsipras após se reunir com o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz.

O novo primeiro-ministro, que se encontrou antes separadamente com os presidentes da Comissão Europeia (CE) e do Conselho Europeu, Jean-Claude Juncker e Donald Tusk, respectivamente, afirmou que a história da UE é composta de desacordos, mas que, no final, também é formada por “compromissos e acordos”.

Tsipras reiterou após visitar as três instituições comunitárias em Bruxelas que seu governo está “preparado para deliberar” com os credores internacionais, sempre levando em consideração os objetivos de Atenas.

“Nosso objetivo é respeitar a soberania do povo grego e o mandato que ele nos deu, ao mesmo tempo que respeitamos também as regras da UE”, afirmou o líder grego, que viaja hoje mesmo a Paris para se reunir com o presidente da França, François Hollande.

“Queremos corrigir este marco, não rompê-lo. As conversas estão em um bom caminho, em uma boa direção para encontramos um acordo viável, apesar de ainda não o termos”, ressaltou Tsipras ao lado de Schulz.

O presidente do Parlamento Europeu compartilhou o “otimismo” do novo primeiro-ministro grego.

“Estou otimista de que ambas as partes encontrarão um entendimento comum sobre as bases do programa para a Grécia nos próximos anos”, afirmou.

Schulz também elogiou o tour europeu feito por Tsipras após sua eleição, e destacou que o líder do Syriza “é um primeiro-ministro que luta pela cooperação europeia em vez da separação grega”, um “sinal bom e forte”.

O presidente do Parlamento Europeu, o primeiro a visitar Tsipras em Atenas após a vitória em 25 de janeiro, enviou uma mensagem de apoio ao primeiro-ministro grego na luta contra a evasão fiscal.