Trump vs. Congresso: de volta à mesa de negociação

ÀS SETE - Próximos dias devem se desenrolar em torno da relação de Trump com o Congresso, que deve pautar a questão da imigração

A semana começa agitada na política norte-americana. Depois de um início de ano com falas polêmicas do presidente Donald Trump no cenário internacional e do livro Fogo e Fúria, que abalou a Casa Branca no final de semana, colocando o intelecto do presidente em dúvida, os próximos dias devem se desenrolar em torno da relação de Trump com o Congresso.

Na sexta-feira, a Casa Branca entregou uma lista a senadores com demandas no quesito anti-imigração.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

Trump prometeu ajudar na proteção dos Dreamers se o congresso aprovar um pacote de 33 bilhões de dólares em defesa de fronteiras nos próximos 10 anos — o que inclui 18 bilhões para a construção de 3.200 km de um muro com o México.

Os Dreamers são cerca de 780.000 jovens trazidos para os Estados Unidos enquanto crianças e que eram, até setembro do ano passado, protegidos por um Ato do ex-presidente Barack Obama.

Trump retirou o decreto e jogou a bomba no Congresso, que tem até 6 meses para arrumar uma legislação substituta definitiva.

Desde então, estima-se que 14.000 pessoas perderam a possibilidade de renovar seus vistos temporários de trabalho sob o programa.

A lista da Casa Branca — que inclui a contratação de 10.000 novos oficiais de fronteira e a retirada de garantias federais para as chamadas “cidades santuário” (que dão proteção especial a imigrantes) — contém os mesmos pontos de outra enviada em outubro e irritou senadores que trabalhavam em um comitê bipartidário para a resolução da questão.

Os democratas querem restabelecer a segurança jurídica dos Dreamers, enquanto republicanos buscam por mais severidade no controle de imigração.

“É ultrajante que a Casa Branca ameace meses de esforços bipartidários ao tentar passar de novo essa lista anti-imigração nas costas dessa população”, disse em comunicado o senador Richard Durbin, democrata de Illinois.

“Talvez o presidente Trump tenha dito que ele precisa de um bom desligamento do governo para aprovar o muro”, disse Durbin, em referência à lei de financiamento que precisa ser aprovada ainda este mês para que o governo continue em funcionamento.

A lista foi enviada pouco antes de Trump ir à base de Camp David, onde se encontrou durante o final de semana com lideranças do Congresso para falar sobre as próximas pautas legislativas, entre elas financiamento e imigração. Os próximos dias serão decisivos na mesa de negociação.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Roberto Azmann

    A abril editora passou a ser um meio de comunicação comunista, mas isso vai ter de acabar.

  2. Roberto Azmann

    A abril editora passou a ser um meio de comunicação comunista, mas isso vai ter de acabar.
    É MENTIRA DESSA REVITA. NÃO REPETI COISA ALGUMA. SÓ ESTOU LENDO AGORA. ISSO É CENSURA.
    TERIA DE SER FECHADA PELO GOVERNO BRASILEIRO PATRIOTA OU ENTÃO SOFRER UMA FORTE CENSURA.