Trump se frustrou com supervisor da investigação sobre Rússia

Rod Rosenstein é responsável por supervisionar investigação do conselheiro Robert Mueller sobre a suposta interferência da Rússia na eleição de 2016

São Paulo – A porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, afirmou há pouco que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, manifestou “algumas frustrações” em relação à atuação do vice-procurador-geral dos EUA, Rod Rosenstein.

Ele é responsável por supervisionar a investigação do conselheiro especial Robert Mueller sobre a suposta interferência da Rússia na eleição presidencial americana em 2016.

Sarah pontuou, contudo, que não tinha “qualquer anúncio a fazer neste momento” sobre medidas do presidente em relação a Rosenstein. Nos últimos dias, a imprensa americana relatou que Trump está considerando a possibilidade de demitir o número dois do Departamento de Justiça americano.

Livro de ex-diretor do FBI

À exceção de algumas perguntas sobre a possibilidade de Washington empregar uma ação militar para retaliar Damasco, das quais Sarah se esquivou, o assunto que dominou a coletiva de imprensa desta sexta-feira foi o livro que o ex-diretor do FBI James Comey está prestes a lançar.

Alguns trechos da obra já divulgados trazem críticas contundentes a Trump, que Comey escreve ser “antiético” e “ausente da verdade”.

Diante das perguntas de repórteres sobre as palavras de Comey, a porta-voz leu uma declaração oficial que chama o ex-agente de “um fracassado desonrado e partidário”. “As críticas (de Comey a Trump) não são nada mais que uma estratégia de divulgação (do livro)”, disse. “Não estamos surpresos que ele espalhe falsidades, pois sempre se mostrou um ‘vazador’ (de informações confidenciais) e um mentiroso.”

Ela acrescentou ainda que “demitir Comey está entre os maiores feitos da presidência” de Trump.