Trump prevê que Irã tentará negociar novo acordo “durável” com os EUA

Presidente americano diz que trabalhará com aliados para encontrar solução real, integral e duradoura para a "ameaça nuclear iraniana"

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, previu nesta terça-feira que o Irã tentará negociar com ele um acordo “novo e durável” depois de anunciar a saída do país do pacto nuclear multilateral assinado em 2015.

“Agora que nos retiramos do acordo com o Irã, trabalharemos com nossos aliados para encontrar uma solução real, integral e duradoura para a ameaça nuclear iraniana”, disse Trump ao anunciar a decisão.

“Os líderes do Irã dirão, naturalmente, que se negam a negociar um novo acordo. Se negam e me parece correto. Provavelmente eu diria o mesmo se estivesse no lugar deles. Mas, no fim, eles vão querer negociar um acordo novo e durável, um (pacto) que beneficie o Irã e o povo iraniano. Quiserem fazê-lo, estarei preparado e disposto”, completou Trump durante o anúncio, realizado na Casa Branca.

O assessor de segurança nacional de Trump, John Bolton, afirmou pouco depois a jornalistas que as conversas com os aliados dos EUA para negociar um pacto mais amplo do que o assinado em 2015 começarão, literalmente, amanhã de manhã.

Trump quer que o novo acordo não se limite ao programa nuclear do Irã. Segundo o presidente, ele deve incluir “esforços para eliminar a ameaça do programa de mísseis balísticos do Irã, deter suas atividades terroristas no mundo e bloquear a atividade ameaçadora em todo o Oriente Médio”.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse em nota que, enquanto o governo Trump constrói um “esforço global” para substituir o atual acordo nuclear, o Irã será alvo de sanções. A medida, disse ele, servirá como uma lembrança dos efeitos do isolamento diplomático e econômico provocado pelas “atividades malignas” do país.

Não está claro se Trump conseguirá negociar um novo acordo com os signatários do pacto de 2015 – Irã, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha. Todos eles defendem a manutenção do documento firmado há três anos.

A Alta Representante para Política Externa da União Europeia (UE), Federica Mogherini, afirmou hoje, após o anúncio de Trump, que o bloco está “determinado” a preservar o pacto de 2015. O presidente da França, Emmanuel Macron, lamentou a decisão de Trump, mas mostrou abertura para negociar um acordo mais ambicioso.

O presidente do Irã, Hassan Rohani, disse hoje que ordenou que a Agência Iraniana de Energia Atômica esteja preparada para adotar medidas caso seja necessário, inclusive para iniciar procedimentos para enriquecer urânio no país.