Trump: Pompeo está a caminho da Coreia preparar reunião com Kim

Encontro entre líderes dos EUA e da Coreia do Norte será o primeiro após quase 70 anos de confronto iniciado com a Guerra da Coreia

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira que seu secretário de Estado, Mike Pompeo, está a caminho da Coreia do Norte “neste exato momento” para preparar seu esperado encontro com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, a primeira reunião na história entre Washington e Pyongyang.

“Neste exato momento, o secretário Pompeo está a caminho da Coreia do Norte”, disse Trump em um discurso para anunciar a retirada dos EUA do acordo nuclear com o Irã.

O presidente americano anunciou a viagem de Pompeo ao final do seu discurso sobre o Irã, quando estava falando que os EUA não serão um “refém da chantagem nuclear” da nação persa e assegurou que seu país “já não faz ameaças vazias”.

Em seguida, anunciou a viagem de Pompeo e, em resposta às perguntas dos jornalistas, declarou que seu secretário de Estado deve aterrissar na Coreia do Norte “provavelmente em uma hora”.

“Já estão fazendo planos. Já estão desenvolvendo as relações. Esperemos que haja um acordo”, ressaltou Trump.

O governante americano também se referiu aos três americanos que permanecem presos na Coreia do Norte, sobre os quais prometeu em várias ocasiões que haverá novidades em breve, o que foi interpretado como a possibilidade de que sua libertação aconteça em breve, em um gesto de boa vontade por parte de Pyongyang.

Na semana passada, Trump disse que já há “uma data e um lugar” para seu encontro com o líder norte-coreano, embora não os tenha revelado.

Até agora, a Casa Branca disse que o encontro acontecerá no final de maio ou no início de junho e que estavam sendo cogitados vários locais, entre os quais estão Cingapura e a fronteira entre as duas Coreias, pela qual Trump expressou preferência.

O encontro entre Kim e Trump será o primeiro entre líderes dos Estados Unidos e da Coreia do Norte após quase 70 anos de confronto iniciado com a Guerra da Coreia (1950-1953) e de 25 anos de fracassadas negociações.