Trump elogia presidente do Egito que pretende governar até 2034

Desde 2014 no poder, Abdul Fatah al Sisi quer convocar um referendo para mudar a constituição do Egito e conseguir estender seu mandato

Washington — O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elogiou nesta terça-feira o “grande trabalho” do seu homólogo egípcio, Abdul Fatah al Sisi, que quer convocar um referendo no Egito para modificar a Constituição e permanecer no poder até 2034.

“Acho que está fazendo um grande trabalho”, disse Trump ao ser perguntado pelo referendo promovido por Al Sisi, durante uma reunião entre ambos na Casa Branca.

“Não sei muito sobre a iniciativa (do referendo). Só posso dizer-lhes que está fazendo um grande trabalho”, acrescentou.

As emendas constitucionais que estão sendo estudadas pelo parlamento do Egito, e que poderiam levar a um referendo ainda este mês, permitiriam ampliar o mandato do chefe de Estado de quatro a seis anos, dariam mais poder às Forças Armadas e outorgariam ao presidente a prerrogativa de designar juízes.

A oposição egípcia criticou as emendas por consideraram uma via para o “estabelecimento expresso de uma ditadura”, e vários legisladores americanos também expressaram sua preocupação sobre esse processo para prolongar o mandato de Al Sisi, no poder desde 2014.

Esta é a segunda vez que Trump recebe o presidente egípcio na Casa Branca, e disse que planejava falar com ele de “assuntos militares, comércio” e da luta contra o terrorismo.

“Acredito que nunca tivemos uma relação melhor, o Egito e os Estados Unidos, do que atualmente”, comentou Trump.

Al Sisi, por sua parte, concordou com o fato de que os laços bilaterais “não foram melhores” anteriormente e disse confiar que com esta visita se possa “dar um grande salto na relação estratégica”.

“Todo o mérito é seu, senhor presidente. Muito obrigado pelo seu apoio em todos as frentes. Queremos promover nossas relações bilaterais nos âmbitos políticos, econômico, militar, cultural e outros”, declarou o governante egípcio.

Trump aproveitou ainda para lembrar que sua esposa, Melania, visitou o Egito no ano passado e que, embora “não seja alguém que se deixe impressionar facilmente, ficou muito impressionada” com as pirâmides de Gizé.