Trump é “Frankenstein republicano”, diz líder democrata

Líder da minoria democrata no Senado dos EUA criticou o Partido Republicano por permitir a ascensão do magnata

Washington – O líder da minoria democrata do Senado dos Estados Unidos, Harry Reid, criticou duramente nesta quarta-feira o aparelho do Partido Republicano, o qual acusou de permitir a ascensão do magnata Donald Trump, que se consolidou como o pré-candidato conservador favorito à presidência do país nas primárias da Super Terça.

“Donald Trump é o Frankenstein do Partido Republicano. Os republicanos passaram os últimos oito anos alimentando o fogo do ressentimento e do ódio, a construção de Trump peça por peça”, disse o líder democrata no plenário da câmara alta.

Reid fez estas declarações depois que Trump venceu ontem em sete dos 11 estados que estavam em jogo nas eleições primárias republicanas.

Senador democrata por Nevada, que se aposentará no final de seu atual mandato, Reid sugeriu que, depois que os republicanos “se negaram” durante anos a trabalhar com os democratas e com o presidente Barack Obama para legislar pelos cidadãos, agora estão “colhendo o que semearam”.

“Donald Trump é o elemento final do legado da obstrução e do ressentimento do Partido Republicano”, acrescentou.

Apesar da liderança republicana do Congresso ter se distanciado de algumas das políticas de Trump, também foram reticentes a sugerir publicamente que não o apoiariam como candidato do partido.

Reid, um dos democratas com mais poder no Legislativo, utilizou em várias ocasiões o plenário do Senado para criticar o magnata imobiliário, que desafiou várias vezes o aparelho de seu partido.

“Hoje, a classe dirigente republicana aparenta estar surpreendida por Trump. Fingem indignação porque um demagogo xenófobo está ganhando em um partido que passou anos dizendo aos latinos e imigrantes que não são bem-vindos nos Estados Unidos”, completou o senador democrata.

“Tudo depende de que os republicanos denunciem Donald Trump para tentar desfazer o que fizeram. É hora de os republicanos deterem o Frankenstein que criaram”, concluiu.