Trump diz que Reino Unido e May fizeram uma “bagunça” com o Brexit

O líder americano também criticou o embaixador do Reino Unido em Washington, Kim Darroch, lembrando que não lidará mais com ele

O presidente americano, Donald Trump, voltou a criticar nesta segunda-feira (8) a gestão do Brexit pela primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmando que ela é responsável pelo atual “desastre” e celebrando sua partida, em um contexto de tensão diplomática entre os dois países.

“Sou muito crítico da forma como o Reino Unido e a primeira-ministra Theresa May geriram o Brexit”, disse Trump.

O presidente americano afirmou ter dito a May como agir, mas que ela tinha decidido adotar outro caminho.

“Que desastre ela e seus representantes criaram”, afirmou Trump em um tuíte no qual anunciou que não terá mais contato com o embaixador britânico em Washington após o vazamento de mensagens em que o diplomata classificava seu governo de “torpe e inepto”.

“Eu não conheço o embaixador, mas ele não é querido e nem bem-vindo nos Estados Unidos. Não teremos mais contatos com ele”, afirmou Trump, dois dias após a publicação pela imprensa de comentários do embaixador britânico em Washington, Kim Darroch.

May classificou os vazamentos como “totalmente inaceitáveis” e afirmou ter “total confiança” em Darroch, que chegou a Washington em janeiro de 2016, antes da vitória de Trump nas eleições presidenciais.

Após as declarações de Trump, um porta-voz do governo britânico reiterou que Darroch tem “pleno apoio” da primera-ministra.

“Temos que descobrir como isso pôde acontecer, ao menos devolver a confiança a nossas equipes em todo o mundo para que continuem nos dando avaliações sinceras”, disse o chanceler britânico, Jeremy Hunt, a duas semanas da nomeação do novo governo.

Hunt elogiou o trabalho do embaixador, ressaltando, contudo, que não compartilha de suas opiniões.

“É muito importante dizer que o embaixador estava fazendo o seu trabalho de embaixador, que é proporcionar relatórios francos e opiniões pessoais sobre o que acontece no país em que trabalha […], mas são opiniões pessoais, não as opiniões do governo britânico, nem a minha opinião”, declarou.

“Continuamos pensando que, com Donald Trump, o governo americano é, além de muito eficiente, o melhor amigo para o Reino Unido no cenário internacional”, acrescentou Hunt, em campanha para se tornar o próximo primeiro-ministro britânico, nomeação que será realizada em 23 de julho.

O político populista a favor do Brexit Nigel Farage classificou os documentos escritos por Darroch como “muito irresponsáveis”.