Trump critica México por ser “incapaz de deter” caravana de imigrantes

Trump chamou a caravana de imigrantes hondurenhos de "emergência nacional" e afirmou que as Forças Armadas foram alertadas

Washington – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira que o México é “incapaz de deter” a caravana de imigrantes hondurenhos que se dirige à fronteira sul de seu país e garantiu que as forças armadas foram alertadas por se tratar de “uma emergência nacional”.

“Infelizmente, parece que a polícia e os militares do México são incapazes de deter a caravana que se dirige à fronteira sul dos EUA”, afirmou Trump no Twitter.

O presidente americano ressaltou que entre a caravana de imigrantes há “criminosos e cidadãos desconhecidos do Oriente Médio”.

“Alertei à Patrulha Fronteiriça e às Forças Armadas que isto é uma emergência nacional. Devemos mudar as leis!”, acrescentou o presidente.

Até agora, Trump tinha aplaudido as ações das autoridades mexicanas na fronteira com a Guatemala para conter a entrada do fluxo de imigrantes.

Ontem à noite, o secretário de Estado, Mike Pompeo, advertiu em comunicado que “os Estados Unidos estão acompanhando de perto a caravana de imigrantes”, e que muitos deles, em sua “perigosa” viagem, estão violando a soberania dos países, suas leis e seus procedimentos.

“Como o presidente Trump declarou, em conformidade com a lei dos EUA, não permitiremos que os imigrantes ilegais ingressem ou permaneçam nos Estados Unidos”, frisou Pompeo.

A caravana de imigrantes hondurenhos que se dirige à fronteira com os Estados Unidos, chegou ontem à cidade mexicana de Tapachula e as autoridades migratórias estão pedindo que os integrantes da mesma regularizarem seu status legal.

Pelo menos 2 mil pessoas que participam da caravana conseguiram superar as exigências migratórias impostas pelo México e saíram no início da manhã da passagem fronteiriça de Ciudad Hidalgo (México) para uma jornada a pé de aproximadamente 40 quilômetros até Tapachula, onde passarão a noite.

O objetivo da caravana é alcançar a fronteira do México com os Estados Unidos, o que representa um percurso de 2 mil quilômetros para a região nordeste, ou de quase 4 mil quilômetros se tomar a rota do noroeste que leva à cidade de Tijuana.

O governo do México, através do Ministério de Relações Exteriores, confirmou que chegaram no total cerca de 4.500 imigrantes na fronteira sul do país.