Após maré de críticas, Trump suspende a separação de famílias na fronteira

Ao menos 2 mil crianças foram separadas de suas famílias em razão de nova medida contra imigração, que estava em vigor há cerca de seis semanas

São Paulo – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou uma ordem executiva que coloca fim na crise humanitária que se instalou na fronteira do país com o México em que famílias inteiras foram separadas durante tentativas de travessia. A administração Trump, no entanto, informou que a política “tolerância zero” contra a imigração ilegal irá continuar.

O novo decreto, disse Trump, tem como objetivo manter as famílias unidas durante os procedimentos migratórios. “Ao mesmo tempo, queremos manter nossas fronteiras fortes e protegidas”, disse ele ao assinar a ordem executiva. Ainda não há detalhes sobre como, afinal, isso irá acontecer no dia a dia das fronteiras.

Até então, as medidas em vigor previam que os adultos detidos durante a tentativa de cruzar do México para os EUA fossem processados criminalmente. Como resultado, os menores de idade eram levados para abrigos do governo.

Pessoas que visitaram essas instalações relataram ter testemunhado crianças chorando desesperadamente por seus pais e muitas estavam presas dentro de jaulas de metal.

Em prática há cerca de seis semanas, a política causou a separação forçada de ao menos 2 mil crianças e gerou uma grave crise de imagem para a gestão Trump, criticada por aliados republicanos, líderes políticos e religiosos, além de organizações de direitos humanos.