Trudeau quer trabalhar com Trump pela classe média

"Em nome do governo do Canadá, eu gostaria de oferecer minhas felicitações a Donald Trump por sua posse como 45º presidente dos EUA"

Toronto – O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, felicitou Donald Trump nesta sexta-feira por assumir a presidência dos Estados Unidos e declarou que quer trabalhar com ele para “restaurar a prosperidade da classe média” nos dois países.

“Em nome do governo do Canadá, eu gostaria de oferecer minhas felicitações a Donald Trump por sua posse como 45º presidente dos Estados Unidos da América”, disse Trudeau em comunicado.

Após indicar que Canadá e Estados Unidos mantêm uma das “relações mais estreitas” do mundo, Trudeau declarou que ambos países “querem construir economias nas quais a classe média, e os que trabalham duro para unir-se a ela, tenham uma possibilidade justa de êxito”.

“Espero trabalhar com o presidente Trump, a Administração americana, o 115º Congresso e funcionários estaduais e locais para restaurar a prosperidade da classe média em ambos lados da fronteira, e criar um mundo mais seguro e pacífico”, destacou Trudeau.

Nos últimos dias, Trudeau realizou mudanças em seu gabinete em resposta à eleição de Trump como presidente.

Trudeau mudou seu ministro das Relações Exteriores, cargo agora ocupado por Chrystia Freeland, que também é ministra de Comércio Internacional.

O primeiro-ministro canadense também nomeou esta semana um secretário parlamentar para o ministro das Relações Exteriores cuja principal incumbência é atender às relações com os Estados Unidos.

Para o posto, Trudeau nomeou o ex-tenente-general e atual deputado, Andrew Leslie.

Leslie, que passou 35 anos nas forças armadas canadenses e serviu no Afeganistão, mantém boas relações pessoais com várias pessoas do entorno de Trump.

O novo presidente americano já antecipou que imporá políticas protecionistas em temas comerciais.

Os Estados Unidos são os principais parceiros comerciais do Canadá e qualquer medida protecionista do novo governo Trump pode afetar gravemente a economia canadense.