Trichet propõe Ministério das Finanças na Zona do Euro

Presidente do BCE acredita que órgão é o próximo passo para a integração das economias no continente

Frankfurt – O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, que recebeu nesta quinta-feira o prêmio Carlos Magno da Zona do Euro (oeste) propôs a criação de um Ministério das Finanças para dar prosseguimento ao processo de integração econômica.

“Seria uma ideia muito ambiciosa contemplar, no plano econômico, um Ministério das Finanças da União?” depois que a Europa ganhou um mercado único, uma moeda única e um Banco Central único, perguntou-se Trichet ao falar do futuro a longo prazo da Zona do Euro.

Esse ministério, não teria por que administrar um grande orçamento federal, mas teria responsabilidade direta sobre pelo menos três campos, indicou seu discurso publicado no portal do BCE.

Esses campos seriam a “vigilância das políticas orçamentárias e políticas em matéria de competitividade”; “as responsabilidades assumidas geralmente pelos governos em relação ao setor financeiro integrado da União” e, por fim, a “representação da União nas instituições financeiras internacionais”.

O prêmio Carlos Magno foi concedido a “este servidor europeu do Estado” por sua contribuição decisiva “nestes tempos difíceis para a coesão da União Monetária, para a estabilidade do euro e para a manutenção da competitividade da Europa”.

Desde 1950, é concedido todos os anos a personalidades que contribuíram para o avanço da causa europeia.

Entre os premiados anteriores estão Angela Merkel (2008), Bill Clinton (2000), Jacques Delors (1992) e François Mitterrand/Helmut Kohl (1988).

No ano passado o primeiro-ministro polonês Donald Tusk foi agraciado.