Terremoto em Bornéu deixa mais de 130 alpinistas isolados

Segundo a imprensa local, quatro montanhistas estariam feridos, com fraturas e ferimentos na cabeça

Kuala Lumpur – Autoridades da Malásia estavam mobilizadas nesta sexta-feira para resgatar 137 alpinistas, alguns feridos, do monte Kinabalu, depois que um terremoto de 6 graus de magnitude afetou a ilha de Bornéu.

Segundo o Centro Geológico dos Estados Unidos (USGS), o terremoto aconteceu às 7H15 (20H15 de Brasília, quinta-feira) a uma profundidade de 10 quilômetros, com epicentro a 54 km de Kota Kinabalu, capital do estado de Sabah, onde fica o Kinabulu.

De acordo com as autoridades malaias, 137 alpinistas, incluindo alguns estrangeiros, estavam um pouco abaixo do topo do Kinabalu, que tem 4.095 metros de altura, e ficaram retidos em consequência dos riscos de deslizamentos de pedras e rochas.

“Eles desciam lenta e prudentemente”, afirmou o ministro do Turismo do estado de Saba, Masidi Manjun.

Uma equipe de resgate formada por 85 oficiais foi enviada ao local e tentava entregar mantimentos e cobertores aos alpinistas.

As chuvas intensas são frequentes nas montanhas de Kinabalu, onde a temperatura pode ficar abaixo de zero durante a noite, apesar do clima tropical de Bornéu.

Em um comunicado anterior, as autoridades citaram 200 alpinistas bloqueados.

A escalada na montanha, relativamente fácil, acontece geralmente em dois dias, sem a necessidade de equipamento especial e com um refúgio para passar a noite no meio do caminho.

“Agora a situação é muito delicada. Não podemos chegar de helicóptero porque a visibilidade é muito ruim e as pessoas não podem descer pelos próprios meios porque a principal rota está impraticável”, disse Manjun.

Segundo a imprensa local, quatro montanhistas estão feridos, com fraturas e ferimentos na cabeça. Todas as atividades de alpinismo foram suspensas.

As autoridades não emitiram um alerta de tsunami e informaram que o tremor não provocou danos graves às infraestruturas.