Suprema Corte do Iraque se pronuncia a favor de recontagem manual de votos

A recontagem dos votos das eleições legislativas de maio podem demorar meses, apesar do atual mandato do Parlamento acabar oficialmente no fim do mês

A Suprema Corte Federal, principal tribunal constitucional do Iraque, pronunciou-se nesta quinta-feira a favor de uma recontagem manual de todos os votos das eleições legislativas de 12 de maio, que terminaram com vitória do dirigente nacionalista Moqtada Sadr.

A nova apuração poderia demorar semanas ou meses, apesar do atual mandato do Parlamento acabar oficialmente em 30 de junho.

O tribunal considera que a decisão do Parlamento de 6 de junho a favor de uma recontagem manual – após a constatação de irregularidades – “não viola os dispositivos da Constituição”, afirmou o presidente da corte, Medhat al-Mahmud.

A recontagem afeta quase 11 milhões de cédulas, incluindo os votos dos moradores no exterior, dos deslocados e dos membros das forças de segurança. O Parlamento havia decidido anular os votos destas três categorias por fortes suspeitas de fraude.

A Suprema Corte também decidiu substituir nove membros da Comissão Eleitoral por um número igual de juízes, que devem supervisionar a recontagem.