Sul da Flórida retoma normalidade após desvio do furacão Dorian

Estado norte-americano teve a confirmação de que não se encontra na mira da tempestade que se afasta das Bahamas

Miami — O sul da Flórida começou a voltar a normalidade, nesta terça-feira, 3, após a confirmação de que não se encontra na mira do furacão Dorian, que está se afastando das Bahamas e avança lentamente para o noroeste com ventos de categoria 2 na escala Saffir-Simpson.

Os últimos boletins do Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos deixaram aliviados os moradores do sudeste da península da Flórida, região mais povoada do estado, e levaram a retirada da maioria das medidas preventivas que estavam em vigor durante o longo fim de semana do Dia do Trabalho, celebrado ontem.

No entanto, as pessoas que residem na área central da Flórida, que sentirão os efeitos de Dorian quando começar seu deslocamento perto da costa a partir desta noite estão preocupadas, assim como os moradores no litoral da Geórgia e da Carolina do Norte e Carolina do Sul, que também estão em estado de emergência.

Dorian perdeu grande parte da força com a qual ele atingiu as Bahamas, mas continua sendo perigoso, como lembra em todos os boletins do NHC.

Em Miami, poucos motoristas tiraram seus automóveis das garagens, apesar dos escritórios terem retomados suas atividades hoje. Já as escolas públicas serão reabertas amanhã, da mesma forma que a maioria das particulares, assim como universidades e escritórios do estado no sul da Flórida.

O Aeroporto Internacional de Miami permaneceu ativo o tempo todo, enquanto o outro mais importante da área, Fort Lauderdale, deve retomar suas operações nesta terça, depois de ter permanecido fechado nas últimas 24 horas como medida preventiva por Dorian.

O aeroporto de West Palm Beach continua sem operações até novo aviso. Uma mensagem postada em seu site indica que está trabalhando “diligentemente” com objetivo de retomar os voos comerciais o mais breve possível.

Dos 1.734 cancelamentos de voos com partida ou chegada dos EUA contados pelo site especializado “FlightAware” até por volta das 12h (horário local, 13h de Brasília), a maioria estava relacionada com Dorian.

Do total de voos cancelados, 361 correspondem ao aeroporto internacional de Orlando (centro da Flórida), que permanece sem operações comerciais.

Os portos Everglades, em Fort Lauderdale, e Miami estão inoperantes desde o último domingo por decisão da Guarda Costeira.