Soldados israelenses matam dois palestinos na fronteira Gaza-Israel

Enclave palestino é cenário de protestos contra bloqueio e pelo direito de retorno dos palestinos a terras das quais foram expulsos com criação de Israel

Soldados israelenses mataram nesta sexta-feira (29) dois palestinos, um deles adolescente, durante confrontos perto da fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza, anunciou o ministério da Saúde de Gaza.

O adolescente, cuja identidade não foi revelada, morreu com um tiro na cabeça disparado por um soldado israelense perto do povoado de Khan Yunes, no sul do enclave, segundo Ashraf al Qodra, porta-voz do ministério da Saúde de Gaza.

O outro palestino, Mohamed al Hamayda, de 24 anos, foi atingido no estômago ao leste de Rafah, também no sul do enclave, acrescentou o porta-voz.

As Forças Armadas israelenses declararam em um comunicado que “milhares de palestinos participaram à tarde de violentas manifestações e cometeram numerosos atos de terrorismo na cerca de segurança” que separa Israel do enclave palestino.

Segundo o comunicado, pedras foram lançadas em direção aos soldados israelenses, que “responderam utilizando os meios normais para dispersar manifestações e, em casos específicos, dispararam com balas reais conforme as regras” em vigor.

O comunicado acrescentou que as informações sobre a morte de um adolescente palestino serão estudadas.

Desde 30 de março, o enclave palestino é cenário de protestos contra o bloqueio israelense e pelo direito de retorno dos palestinos a suas terras, das quais fugiram quando foram expulsos com a criação de Israel, em 1948.

Soldados israelenses mataram pelo menos 137 palestinos desde que as manifestações começaram.