Soldado norte-coreano foge para a Coreia do Sul e é baleado

Militar foi baleado pelo exército do Norte quando escapava pela Zona Desmilitarizada. Oficiais que fazem a guarda nesta região são rigorosamente escolhidos

São Paulo – Um soldado norte-coreano desertou para a Coreia do Sul nesta segunda-feira, 13, informaram autoridades sul-coreanas, e foi baleado pelo exército da Coreia do Norte durante o processo. Ele foi encontrado na Zona Desmilitarizada, área situada entre os países e estabelecida para conter atividades militares, especificamente na Área de Segurança Conjunta.

Segundo a agência de notícias sul-coreana Yonhap, soldados da Coreia do Sul se alarmaram com um intenso tiroteio por volta das 15h30 (horário local). Ao averiguarem o que se passava, encontraram o soldado norte-coreano caído no chão, ferido. Ele estava desarmado e ainda não teve a sua identidade revelada. Pelo seu uniforme, especula-se que seja de baixa patente.

De acordo com os relatos, o homem foi transferido para um hospital e não houve troca de tiros entre Sul e Norte. Um oficial do Sul disse, ainda, que o militar estava em uma região especialmente exposta aos olhos do Norte e que foi necessário engatinhar até ele para que o resgate fosse possível.

Episódios que envolvem norte-coreanos tentando escapara para o Sul são frequentes e uma média de mil pessoas conseguem realizar essa jornada todos os anos. Naquela área da Zona Desmilitarizada, no entanto, esses incidentes são raros, uma vez que os soldados que compõem essa guarda são escolhidos a dedo por ambos exércitos. Por essa razão, a deserção desta segunda-feira chama a atenção.

O jornalista Jonathan Cheng, chefe do escritório coreano do jornal americano The Wall Street Journal, divulgou um infográfico produzido pela Yonhap e que mostra a trajetória do desertor pela Zona Desmilitarizada até o território da Coreia do Sul. A Coreia do Norte está na parte superior da ilustração.

Coreia do Norte e Coreia do Sul estão tecnicamente em guerra há décadas, mas vivem em uma espécie de trégua. No âmbito mundial, o regime norte-coreano vem desestabilizando a Ásia e a comunidade internacional nos últimos meses em razão do seu programa nuclear, cujo desenvolvimento atingiu novos patamares com os recentes testes balísticos e nucleares.

A situação da crise nuclear é delicada, especialmente por conta da troca de ameaças e provocações entre o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e o presidente americano, Donald Trump.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s