Soldado é morto e dois suspeitos ficam feridos em Londres

Um porta-voz da Polícia não quis confirmar se o incidente é de natureza terrorista, como têm afirmado vários meios de comunicação britânicos

Londres – A Scotland Yard anunciou nesta quarta-feira ter atirado contra dois indivíduos suspeitos do assassinato de um terceiro homem, apresentado por testemunhas como um soldado, em Woolwich, sudeste de Londres.

O primeiro-ministro David Cameron denunciou este “assassinato chocante” e pediu ao ministro do Interior que convoque imediatamente uma reunião do Comitê Cobra, formado por ministros e autoridades de segurança.

Um porta-voz da Polícia não quis confirmar se o incidente é de natureza terrorista, como têm afirmado vários meios de comunicação britânicos.

“Os policiais abriram fogo contra dois homens que, aparentemente, estavam armados. Eles foram internados em dois hospitais londrinos para tratamento”, indicou em uma breve coletiva de imprensa Simon Letchford, membro da Scotland Yard.

Testemunhas citadas pela imprensa declararam ter ouvido os agressores gritarem “Allahu Akbar” (Deus é grande, em árabe). Outros, citados pela agência Press Association, afirmaram que a vítima foi decapitada.

A polícia não quis comentar essas informações.

“Acreditamos que o homem era um soldado. Não sabemos as circunstâncias do incidente”, disse Nick Raynsford, membro do Parlamento por Woolwich e Greenwich, depois de ter conversado com um policial no local. “A polícia precisou agir para deter esses indivíduos”, acrescentou.

Raynsford também informou que foram encontradas armas de fogo, facas e facões no local do incidente.