Sobe para 9 o número de mortos por tsunami nas Ilhas Salomão

Em torno de 3.500 pessoas ficaram desabrigadas pela catástrofe, que destruiu 700 casas

Sydney – As autoridades das Ilhas Salomão, no Pacífico Sul, elevaram a nove nesta quinta-feira o número de mortos em consequência do tsunami gerado após um terremoto de 8 graus na escala Richter.

O comissário de Polícia das Ilhas Salomão, John Lansley, disse à emissora neozelandesa TVNZ que há também vários desaparecidos e um número indeterminado de feridos no hospital.

Equipes médicas e de resgate se dirigem por mar à ilha de Santa Cruz, a mais danificada pelo tsunami, enquanto as autoridades tentam reparar a pista de aterrissagem do aeroporto de Lata, a capital desta província, para facilitar a chegada de ajuda humanitária.

“Infelizmente, muitas casas foram arrasadas e algumas aldeias foram destruídas completamente, pelo que necessitamos evacuar as pessoas o mais breve possível”, assinalou Lansley.

Em torno de 3.500 pessoas ficaram desabrigadas pela catástrofe, que destruiu 700 casas, indicaram fontes da organização World Vision.

Os movimentos telúricos continuam nesta quinta-feira nas Ilhas Salomão, que foram sacudidas por cerca de 40 sismos de até 7 graus na escala Richter depois do tsunami.

O arquipélago fica sobre o chamado Anel de Fogo do Pacífico, uma área de grande atividade sísmica e vulcânica sacudida anualmente por cerca de sete mil tremores, a maioria de intensidade moderada.