Sobe para 38 o nº de mortos em atentado contra aeroporto

O número aumentou depois que sete corpos foram encontrados em uma câmara frigorífica

Islamabad – O número de mortos pelo ataque terrorista dos talibãs contra o maior aeroporto do Paquistão, na cidade de Karachi, subiu nesta terça-feira para 38, depois que sete corpos foram encontrados em uma câmara frigorífica, disse à Agência Efe uma fonte policial.

Os corpos de sete trabalhadores do serviço de terra do terminal foram encontrados na madrugada de hoje e os indícios mostram que os insurgentes os fecharam na câmara e lançaram uma granada antes de trancar as portas, segundo um agente local da polícia.

Com a descoberta dessas novas vítimas, o balanço de mortos pelo ataque talibã está em 38, entre eles os 12 terroristas – as autoridades tinham informado ontem que eram 13 – e 14 membros da guarda aeroportuária e das forças de segurança.

O atentado suicida começou na meia-noite de domingo para segunda-feira e durou cerca de 12 horas, durante as quais foi instaurada uma grande confusão no aeroporto, que foi fechado imediatamente e não voltou a funcionar até a última hora da tarde de ontem.

O ataque, cuja autoria foi assumida pelo principal grupo talibã do país, o TTP, começou pouco antes da meia-noite quando os talibãs chegaram ao local usando uniformes da guarda aeroportuária e passaram pelos controles de segurança exteriores.

Os talibãs passaram pela área de check in e se dirigiram para a área de espera dos passageiros, onde abriram fogo contra as forças de segurança aeroportuária.

Os insurgentes abriram passagem para as pistas e os hangares, onde tentaram, mas sem sucesso, incendiar caminhões-tanques e trocaram tiros com as forças de segurança.

O último grupo de três talibãs se isolou em um hangar e, após serem encurralados, dois deles se suicidaram detonando explosivos e o terceiro continuou atirando até que foi atingido e morto pelas forças de segurança, pouco antes do meio-dia.

Um porta-voz do TTP, Shahidulah Shahid, assumiu a autoria do ataque para a imprensa local e o justificou como uma ‘reação ao assassinato de gente inocente nos bombardeios (do Exército) nas aldeias’.

A Força Aérea realizou hoje durante a madrugada uma nova série de bombardeios que, segundo a versão oficial, causaram a morte de 15 supostos insurgentes na região tribal de Khyber, no noroeste do país. EFE