Snowden se comprometeu a não prejudicar EUA, diz deputado

Ex-técnico da CIA se comprometeu a não prejudicar os Estados Unidos, condição imposta pela Rússia para lhe conceder asilo político

Moscou – O ex-técnico da CIA Edward Snowden se comprometeu nesta sexta-feira a não prejudicar os interesses dos Estados Unidos, condição imposta pela Rússia para conceder asilo político ao fugitivo.

“Snowden anunciou que conhece a condição e que foi fácil aceitá-la. Não tem intenção de causar prejuízo aos Estados Unidos porque é um patriota”, disse o deputado russo Viacheslav Nikonov após a reunião do americano com ativistas dos direitos humanos no aeroporto moscovita de Sheremetyevo

O ex-técnico da CIA está na área de trânsito do aeroporto desde 23 de junho.

Nikonov contou que Snowden considera que seus vazamentos sobre a rede de espionagem em massa dos EUA foram um ato patriótico e não prejudicam os interesses de seu país, que pede sua extradição para que se apresente perante a Justiça americana.

O deputado não explicou se Snowden tem intenção de solicitar “asilo político temporário ou permanente”, depois que outra ativista revelou que o ex-técnico da CIA pretende ficar na Rússia temporariamente, “até poder voar para América Latina”.

“Não esclareceu se é temporário. Ao ser perguntado se a Rússia é uma escolha séria, disse não ter outra escolha, já que se encontra em território russo, carece de passaporte e para obter algum tipo de status legal se vê obrigado a se dirigir às autoridades russas”, explicou Nikonov.


Além disso, “pediu a todos os presentes (na reunião) que intercedam perante o governo da Rússia sobre a concessão de asilo político”, acrescentou.

O presidente da Duma (Câmara dos Deputados russa), Sergei Narishkin, pronunciou-se a favor de conceder asilo a Snowden, pois acredita que ao ser extraditado aos EUA o jovem poderia ser condenado à pena de morte.

“A Rússia deve conceder asilo político a Snowden, embora seja temporário. Eu considero que Edward Snowden é um defensor dos direitos humanos que defende os direitos de milhões e milhões de pessoas no mundo todo”, disse Narishkin.

O Defensor público russo, Vladimir Lukin, afirmou que o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) ou a Cruz Vermelha é que devem se responsabilizar por Snowden.

“Quer ser livre. Não é um criminoso. Merece o status de refugiado. Será melhor se esse status for concedido por uma organização internacional. Seria melhor para todos”, declarou Lukin em referência a um possível piora das relações entre Rússia e EUA.

Snowden também escreverá uma carta ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, na qual denunciará a violação da Declaração Universal dos Direitos Humanos por parte das autoridades americanas, segundo o advogado russo Anatoli Kucherena, que também compareceu à reunião.