Síria vota nova Constituição no dia 26

Ditador sírio dá abertura para que outros partidos, além do governista Baath, possam participar da vida política nacional

Damasco – O presidente da Síria, Bashar Assad, determinou a realização de um referendo sobre uma nova Constituição em 26 de fevereiro, informou a agência estatal Sana nesta quarta-feira. “O presidente Bashar Assad divulgou hoje um decreto estabelecendo o domingo, 26 de fevereiro, como data para um referendo sobre o projeto de Constituição”, afirmou a agência. Com isso, será possível que outros partidos além do governista Baath possam participar da vida política nacional, disse a agência.

No domingo, a comissão encarregada de escrever a nova Carta enviou o rascunho a Assad, informou a Sana. De acordo com a agência, o presidente revisará o documento e então o enviará à Assembleia do Povo, antes da votação.

Em janeiro, Assad disse que uma nova Constituição estava sendo elaborada por um comitê formado em outubro para substituir o anterior, dominado pelo governista Partido Baath.

Na ocasião, ele disse que o referendo poderia ser votado já em março. O governo sírio encerrou um estado de emergência em abril do ano passado e em julho adotou um lei permitindo a criação de um sistema político multipartidário.

Muitos ativistas pediam emendas à Constituição. Porém, com o aumento da violência, muitos líderes oposicionistas exigem agora a saída de Assad.

O rascunho prevê que o presidente possa ficar no poder por no máximo dois mandatos, de sete anos. Assad, que herdou o poder do pai, está no posto há quase 12 anos.

A revolta síria começou em março com protestos em geral pacíficos contra o regime. O conflito tornou-se, porém, mais e mais violento e militarizado nos últimos meses, conforme desertores passaram a lutar contra as forças do governo. Muitos observadores dizem que há o risco de guerra civil no país. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.