Síria bombardeia rebeldes e moradores recolhem corpos

Pelo menos 11 pessoas, inclusive uma menina de seis anos e um idoso, foram mortos por bombardeios nas cidades de Misraba e Rihan

Yayladagi – A artilharia síria bombardeou nesta quarta-feira uma localidade no noroeste do país e áreas próximas à cidade-fantasma de Douma, onde moradores recolheram corpos mutilados após uma carnificina cometida por milicianos leais ao presidente Bashar al-Assad, segundo ativistas.

Eles disseram que pelo menos 11 pessoas, inclusive uma menina de seis anos e um idoso, foram mortos por bombardeios nas cidades de Misraba e Rihan, perto de Douma, e que três outras foram mortas a tiros.

Um vídeo gravado por ativistas da oposição em Douma, 15 quilômetros ao norte de Damasco, mostrou cenas macabras em casas que teriam sido invadidas por milicianos pró-Assad depois de o Exército obrigar combatentes rebeldes a recuar no fim de semana.

A agência estatal de notícias Sana não fez menção às mortes na cidade devastada, mas disse que instalações elétricas foram danificadas e que muitos moradores fugiram do “terrorismo”.

“Esses são pedaços das nossas crianças que estamos retirando de pilhas de detritos … Encontramos essas partes e estamos procurando mais. São partes de corpos humanos queimados”, disse num desses vídeos um homem que vasculhava um latão de lixo revirado.


As restrições do governo sírio ao trabalho da imprensa dificultam a verificação dos relatos de violência que assola o país.

Líderes da oposição e governos ocidentais dizem que mais de 15 mil pessoas já foram mortas. O governo diz que gangues terroristas mataram milhares de soldados e policiais em 16 meses de rebelião contra Assad.

Ativistas da oposição relataram um êxodo de civis em pânico da localidade de Khan Sheikhoun, na província de Idlib, no noroeste, mas não tinham notícias exatas sobre vítimas do bombardeio, da qual helicópteros militares teriam participado.

“Eles estão arrasando Khan Sheikhoun”, disse Mustapha al-Sheikh, general do Exército Sírio Livre (ESL), que tem sede no outro lado da fronteira, em território turco. “Assad está dizendo ao povo sírio: ‘Ou eu fico ou eu queimo vocês’.” Outro general sírio desertou para a oposição e fugiu para a Turquia, elevando a 16 o número de generais renegados agora em território turco, segundo fontes do ESL.

A Turquia disse nesta quarta-feira que encontrou os corpos de dois pilotos de um caça F4 abatido em junho por forças sírias, e que suas equipes estão tentando resgatá-los do mar.