Simpatizantes do governo egípcio expulsam opositores

Após serem expulsos, mais de cem opositores do presidente voltaram a se concentrar em uma rua adjacente, cantando músicas com temas como "a revolução continua"

Cairo – Milhares de simpatizantes do presidente egípcio, Mohammed Mursi, e da Irmandade Muçulmana desmontaram um acampamento de opositores em frente ao palácio do governo e os obrigaram a deixar o local.

Após serem expulsos, mais de cem opositores do presidente voltaram a se concentrar em uma rua adjacente, cantando músicas com temas como “a revolução continua” ou “que caia o governo do guia espiritual” da Irmandade Muçulmana, referindo-se a Mursi.

Enquanto isso, os islamitas, em sua maioria homens e muito superiores em número, começaram a pintar de amarelo os muros exteriores do palácio, que os manifestantes anti-Mursi haviam pichado.

Alguns carregam cartazes em favor da polêmica declaração constitucional promulgada por Mursi, com a qual blindou seus poderes perante a Justiça, e muitos deles começaram a rezar sobre a calçada a oração muçulmana do anoitecer.

Vários policiais protegem, com o uso de barreiras, o acesso à sede presidencial.