Silvio Berlusconi não é mais Cavaliere

Ex-primeiro-ministro da Itália perdeu seu título após ter sido excluído da associação dos "Cavaleiros do Trabalho"

Roma – O ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, condenado por fraude fiscal no processo Mediaset, perdeu seu título de Cavaliere, após ter sido excluído da associação dos “Cavaleiros do Trabalho”.

O líder do partido Forza Italia (direita) foi condenado em última instância a quatro anos de prisão – três deles anistiados – e a dois anos de interdição de exercer cargo público. Esta pena, confirmada na terça-feira pelo Tribunal de Cassação, priva o ex-premiê do direito de voto e da possibilidade de ser eleito.

Segundo o jornal Corriere della Sera, esta condenação fez com que alguns membros dos Cavaleiros do Trabalho pedissem a expulsão de seu famoso membro, o magnata das mídias Silvio Berlusconi, comumente apelidado de “Cavaliere”.

O regulamento desta organização prevê que apenas pessoas com “uma conduta civil e social exemplares” podem ser membros.

Nesta quarta-feira, como previsto pelo maior jornal da península, Berlusconi assumiu a liderança e enviou uma carta de “auto-suspensão” à Federação Nacional dos Cavaleiros do Trabalho.

O conselho diretivo, que estava prestes a se posicionar sobre o caso após a condenação de Berlusconi, se limitou a “tomar nota”.

Federação Nacional dos Cavaleiros do Trabalho reúne todas as pessoas condecoradas da Ordem do Mérito do Trabalho na Itália. Segundo seu site, 2.747 pessoas receberam esta distinção desde a sua criação em 1901. Existem 526 “cavaleiros” ainda vivos.