Senadores americanos pedem que Fifa exclua Rússia da Copa

EUA solicitam suspensão da Rússia como país-membro da entidade, impedimento do time de disputar a Copa no Brasil e retirada do direito de sediar a Copa de 2018

Washington – Dois senadores americanos enviaram carta nesta sexta-feira ao presidente da Fifa, Joseph Blatter, solicitando a suspensão da Rússia como país-membro da entidade, o impedimento da seleção do país de disputar a Copa do Mundo deste ano, e a retirada do direito de sediar a edição de 2018 do torneio.

Segundo o jornal “The Wall Street Journal”, Mark Kirk e Dan Coats, assinaram juntos o documento, em que citam os estatutos da Fifa, que proíbem a discriminação contra qualquer país com base na política ou na origem étnica. No texto, a invasão da Crimeia, na Ucrânia é tratada como violação a soberania de outro país.

Os senadores relembraram da decisão de punir com suspensão a Iugoslávia, o que resultou na exclusão do país da Eurocopa de 1992, e das Eliminatórias para a Copa do Mundo, citando o caso como precedente.

“Desde o momento em que a Rússia mostrou de maneira similar, a falta de respeito declarada aos princípios fundamentais da Fifa e aos direitos internacionais, esperamos que o senhor esteja de acordo em que o país não merece a honra de ser anfitrião da Copa do Mundo ou participar dela”, escreveram os parlamentares à Blatter.

A Rússia está no grupo H do Mundial deste ano, junto com Argélia, Bélgica e Coreia do Sul. Curiosamente, nas oitavas de final, poderá haver cruzamento com a seleção dos Estados Unidos, dependendo do posicionamento das seleções nas suas chaves.

O país foi escolhido sede da Copa de 2018 no dia 2 de dezembro de 2010, superando as candidaturas conjuntas de Portugal e Espanha, Bélgica e Holanda, além da inglesa.