Senado dos EUA vota sobre detenções por terrorismo

O Senado definiu que cidadãos norte-americanos suspeitos de terrorismo e detidos no país não podem ser presos por prazo indefinido

Washington – O Senado dos Estados Unidos decidiu em votação que cidadãos norte-americanos suspeitos de terrorismo e detidos no país não podem ser presos por prazo indefinido, levantando um novo debate sobre liberdades civis e os poderes do presidente como comandante-chefe.

Ignorando a ameaça de veto da Casa Branca, uma coalizão de liberais democratas e republicanos libertários se apoiou em uma emenda da lei, que aponta que o governo não pode deter um cidadão dos EUA ou residente legal por tempo indeterminado sem acusação ou julgamento, mesmo sob autorização de força militar ou declaração de guerra.

A aprovação bipartidária de quinta-feira configura uma luta com a Câmara dos Representantes, que rejeitou em maio os esforços para impedir esse tipo de detenção.

Os legisladores também aprovaram uma emenda que poderá evitar a transferência de detentos presos em Guantánamo, Cuba, para prisões nos Estados Unidos.

O gabinete do governo ameaça vetar o projeto de lei, pois é contra a cláusula que restringe a autoridade do presidente em transferir suspeitos de terrorismo de Cuba para países estrangeiros.

A lei atual nega os direitos de julgamento dos suspeitos de terrorismo, incluindo cidadãos norte-americanos detidos dentro das fronteiras do país, e os sujeita à possibilidade de prisão por tempo indefinido. As informações são da Associated Press.