Senado aprova triplicar repasse a Paraguai por energia de Itaipu

Pelo Tratado de Itaipu, cada país tem direito a 50% da energia da usina de 14 mil megawatts; o Paraguai, porém, não utiliza toda a sua parte e vende o excedente ao Brasil

Brasília – O plenário do Senado aprovou na quarta-feira por votação simbólica o aumento dos pagamentos feitos pelo Brasil ao Paraguai pela energia excedente da usina binacional de Itaipu.

Pelo Tratado de Itaipu, cada país tem direito a 50 por cento da energia da usina de 14 mil megawatts (MW).

O Paraguai, porém, não utiliza toda a sua parte e vende o excedente ao Brasil. É sobre essa fatia da energia que incide o reajuste aprovado no Senado.

A estimativa é de que os pagamentos passarão de cerca de 120 milhões de dólares anuais para 360 milhões de dólares.

A medida, que já havia sido aprovada pela Câmara no início de abril, será promulgada pela presidência do Senado. Por se tratar de um decreto legislativo, a matéria não necessita de sanção da presidente da República.

Com a votação, a presidente Dilma Rousseff conseguirá o trunfo diplomático de desembarcar no Paraguai, no próximo dia 15, com o acordo sobre Itaipu aprovado pelo Congresso brasileiro.

A revisão do contrato da usina foi fechada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o presidente do Paraguai, Fernando Lugo.

O aumento dos pagamentos é visto pelo governo como estratégico do ponto de vista geopolítico. Há anos o Paraguai demanda mais recursos pela usina de Itaipu e, em outras ocasiões, chegou a pedir para vender seu excedente da energia da usina no mercado livre.