Sede da Unasul, no Equador, vai se chamar Néstor Kirchner

Países do órgão aprovaram por unanimidade a homenagem ao ex-presidente argentino; inauguração deve ocorrer em 2012

Brasília – As obras da sede da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), na região metropolitana de Quito, no Equador, começam a partir deste ano e devem ser concluídas em 2012, segundo o governo equatoriano, que ocupa a presidência da entidade. Por unanimidade, os integrates da Unasul decidiram que a sede será batizada de Néstor Kirchner, ex-presidente da Argentina, que morreu em outubro de 2010, depois de uma parada cardíaca.

As informações são da estatal Agência Pública de Notícias do Equador e da América do Sul (Andes). O ministro das Relações Exteriores do Equador, Ricardo Patiño, afirmou que nas próximas semanas começa a construção da sede da Unasul.

A Unasul é formada por 12 países, incluindo o Brasil – Argentina, Bolívia, Equador, Peru, Guiana, Venezuela, Chile, Suriname, Paraguai, Uruguai e Colômbia. O objetivo desta parceria é garantir um espaço para articulação política, econômica, social e cultural. Uma das propostas é que até 2014 sejam eliminadas as tarifas para alguns produtos específicos.

Em setembro do ano passado, a Unasul teve um papel relevante ao defender o governo do presidente do Equador, Rafael Correa. Correa afirmou ser alvo de uma tentativa de golpe ao enfrentar uma onda de manifestações ordenadas por militares quando foi cercado por manifestantes e isolado.

A Unasul informou oficialmente rechaçar os protestos e apoiar o governo Correa por considerá-lo democrático e leal às leis vigentes.