Sarkozy pede renúncia de Kadafi para poupar “mais sofrimento inútil”

Presidente francês solicita um "cessar-fogo de maneira imediata às forças que ainda são leais" ao governante líbio

Paris – O presidente da França, Nicolas Sarkozy, pediu neste domingo ao líder líbio Muammar Kadafi que renuncie ao poder “sem mais demora” para poupar a população de “mais sofrimento inútil”.

Em comunicado divulgado pela Presidência francesa, Sarkozy solicita um “cessar-fogo de maneira imediata às forças que ainda são leais” a Kadafi, que entreguem as armas, retornem a seus lares e se ponham à disposição das “autoridades líbias legítimas”.

“Num momento em que na região de Trípoli e na própria Trípoli ocorrem atos decisivos, o presidente louva a coragem dos combatentes do Conselho Nacional de Transição (CNT) e da população que se subleva”, acrescenta a nota.

Nela, Sarkozy garante “novamente o pleno apoio da França para conseguir a libertação de seu país da opressão e da ditadura”, quando, segundo o líder, “já não há dúvidas” sobre a queda do regime de Kadafi.

A nota do chefe de Estado francês é divulgada depois de o CNT anunciar a iminente derrocada de Kadafi, que neste domingo pediu a todos os cidadãos líbios, em discurso à nação, que “se unam à batalha para impedir que o inimigo domine Trípoli”.