Sandy causou “dano grave” na sede da ONU

O prédio, à margem do rio East, foi inundado por causa da subida no nível do rio, e permaneceu fechado de segunda a quarta-feira

Nações Unidas - A sede da ONU sofreu danos graves por causa da <strong><a href="http://exame.com.br/topicos/furacao-sandy" target="_blank">tempestade Sandy</a></strong>, que atingiu Nova York e outras partes da Costa Leste dos Estados Unidos nesta semana, disse o chefe de segurança da instituição na quinta-feira.</p>

O prédio, à margem do rio East, foi inundado por causa da subida no nível do rio, e permaneceu fechado de segunda a quarta-feira. Desde a passagem da supertempestade, na noite de segunda-feira, grande parte de Manhattan está submersa, e quase 2 milhões de pessoas continuam sem energia no Estado de Nova York.

“Na manhã de terça-feira se tornou evidente que havíamos sofrido um dano bastante grande na ONU”, disse o subsecretário-geral de Segurança, Gregory Starr, a jornalistas.

“A ressaca causada pela tempestade, que foi maior do que se previa, passou por cima da avenida FDR, veio pela entrada de serviço do nível B3 (3o Subsolo) das Nações Unidas, subiu acima da nossa doca de carga no 3B e aí começou a escorrer para os níveis inferiores das Nações Unidas.” Starr disse que isso causou problemas com a central de ar-condicionado, com as operações elétricas e com os serviços de comunicação do complexo.

“Não voltamos às operações completas”, disse ele. “Claramente temos alguns danos nos nossos sistemas de comunicação.” Susana Malcorra, chefe de gabinete do secretário-geral Ban Ki-moon, disse que as operações externas – incluindo missões de paz e humanitárias – não foram afetadas pelos danos na sede.

Muitos sites da ONU saíram do ar desde segunda-feira, mas funcionários disseram que alguns já voltaram a funcionar, e outros devem voltar logo.