Salário de Rainha Elizabeth aumenta para 36,1 mi de libras

O aumento se deve aos lucros de 4% gerados pelo patrimônio da Coroa britânica

Londres – Apesar da crise europeia, a rainha Elizabeth II receberá um aumento de salário, que passará a 36,1 milhões de libras (44,4 milhões de euro), por causa dos lucros de 4% gerados pelo patrimônio da Coroa britânica, formado por palácios, propriedades e milhares de hectares de terrenos.

O chamado Estado da Coroa – em nome da rainha, proprietária de um grande patrimônio – obteve no último ano fiscal até o final de março um lucro líquido de 240 milhões de libras (295 milhões de euros), uma alta de 4% em comparação ao ano anterior, segundo números oficiais divulgados nesta quinta-feira.

Elizabeth II não tem poder para liquidar ativos do Estado da Coroa, mas recebe uma parte dos lucros. O patrimônio total da Coroa ficará estimado em 8 milhões de libras (9.840 milhões de euros) e permitirá à soberana, de 86 anos, desfrutar de uma renda maior a partir de abril de 2013.

Em virtude de um acordo realizado entre o rei George III (1738-1820) e o governo, em 1760, foi decidido que palácios, imóveis e terras seriam controlados pela Coroa e os lucros gerados seriam do departamento do Tesouro que, por sua vez, repassa ao monarca um salário fixo anual para suas despesas.

O acordo, no entanto, foi modificado em 2011 pelo ministro da Economia, George Osborne, e foi estabelecido que a Rainha receberia 15% dos rendimentos.

Assim, ao aumentar o lucro do Estado da Coroa, o salário de Elizabeth II passará, em abril de 2013, a 36,1 milhões de libras (44,4 milhões de euro), 5 milhões a mais do que o montante fixo de 31 milhões de libras (38 milhões de euros) recebido até o momento do contribuinte britânico.

Um porta-voz do Tesouro destacou hoje os bons resultados do Estado da Coroa e disse que o objetivo destas mudanças é que a casa real desfrute de finanças sustentáveis em longo prazo. ‘Mas tudo depende do gasto prudente por parte da casa real’, acrescentou.

Enquanto isso, um porta-voz do Palácio de Buckingham, residência da família real, afirmou que a casa real esta ‘totalmente comprometida’ em controlar as despesas.

Os lucros do Estado da Coroa correspondem ao aumento das rendas de suas propriedades comerciais em áreas urbanas e à receita gerada pelo aluguel de fazendas marinhas a empresas com fazendas eólicas no Reino Unido.