Russo mata 5 pessoas e deixa outras 2 feridas em Moscou

O assassino, identificado como Dmitri Vinogradov, de 30 anos, chegou nesta manhã ao seu local de trabalho vestido com um uniforme camuflado e armado com duas carabinas

Moscou – Um jurista de uma companhia farmacêutica de Moscou matou a tiros cinco pessoas, feriu outras duas e depois se entregou sem oferecer resistência, informaram nesta quarta-feira as autoridades russas.

O assassino, identificado como Dmitri Vinogradov, de 30 anos, chegou nesta manhã ao seu local de trabalho vestido com um uniforme camuflado e armado com duas carabinas, com as quais começou a disparar indiscriminadamente contra seus companheiros.

Segundo o Ministério do Interior, duas mulheres de 25 anos, dois homens de 26 e outro de 30 morreram por causa dos disparos.

Entre os feridos está a ex-namorada do homicida, uma mulher de 24 anos que havia terminado essa relação há poucos dias.

”A jovem, que estava gravemente ferida no peito, foi operada e já se encontra em uma unidade de terapia intensiva”, informou o hospital para onde ela foi levada.

O outro ferido, um homem de 30 anos que levou dois tiros – um no peito e outro no abdômen -, também foi operado, mas segue correndo risco de morte.

”Após ser abandonada por sua namorada, que era sua companheira de trabalho, Vinogradov começou a beber. Na verdade, ele estava se embriagando há cinco dias”, explicou um porta-voz da polícia, que explicou que o assassino se entregou aos agentes de segurança da companhia logo após o ataque.

No entanto, horas antes da ação, o assassino publicou um manifesto contra a humanidade em uma rede social. ”Ódio à humanidade. Me dá asco fazer parte dela! Ódio à vida humana sem sentido! Ódio à vida própria! Só vejo uma maneira de justificá-la: eliminar o maior número de partículas do abono humano”, escreveu o assassino na madrugada de hoje.

De acordo com a polícia moscovita, o homem deverá passar por um exame psiquiátrico e, se for sua sanidade for comprovada, passará o resto da vida na prisão, ou seja, será condenado a prisão perpétua.

Em seu manifesto, Vinogradov compara a humanidade com um câncer no corpo do planeta.

”Tenho certeza de ter argumentos suficientes para considerar que toda a humanidade é como um tumor cancerígeno em um organismo nosso planeta”, escreveu o assassino.