Rússia;fará leilão de unidade da Yukos apesar de;liminar nos EUA

<EM><SPAN>Apesar disso,</SPAN> consórcio de bancos ocidentais que financiariam a maior interessada deve recuar, com medo de retaliações americanas</EM>

Apesar de uma decisão judicial nos Estados Unidos, o governo russo decidiu manter o leilão do principal ativo da petrolífera Yukos. Um juizado de falências do Texas determinou nesta quinta-feira (16/12) o bloqueio por dez dias do leilão da Yugankseftegas. Em um movimento que surpreendeu o mercado, a Yukos encaminhou terça-feira um pedido de concordata ao tribunal em Houston, capital texana. A companhia deve ao fisco da Rússia 27,5 bilhões de dólares em impostos.

Segundo o jornal britânico Financial Times, as autoridades russas afirmam que o juizado não tem jurisdição sobre assuntos internos, e o leilão está mantido para domingo (19/12). “Estamos vendendo a Yugankseftegas por ordem de um oficial de justiça e até agora não recebemos qualquer ordem para cancelar o leilão. Portanto, planejamos continuar”, disse ao Financial Times um porta-voz do órgão do governo federal russo responsável pelo processo. O lance mínimo fixado é de 8,6 bilhões de dólares.

De qualquer modo, a determinação da juíza americana Letitia Clark, diz o Financial Times, vai complicar as coisas para a estatal Gazprom, a empresa russa que detém o monopólio do gás. A Gazprom era a principal concorrente no leilão pela unidade da Yukos, contando com a retaguarda dos bancos ABN Amro, Deutsche Bank, BNP Paribas, Calyon, Dresdner Kleinwort Wasserstein e J.P. Morgan. O consórcio de bancos estaria pronto para financiar a compra com um empréstimo de 10 bilhões de euros. Agora, as instituições financeiras estariam com receio de contrariar uma decisão judicial americana.

Mesmo que a Gazprom consiga levantar recursos junto a bancos russos, desobedecer à determinação do juizado do Texas poderá causar dificuldades em breve. A companhia tem planos de expansão dos negócios em território americano, especialmente no setor de gás liqüefeito.