Rússia é suspeita de divulgar conversa, diz EUA

País teria divulgado telefonema no qual uma diplomata dos Estados Unidos depreciava grosseiramente a União Europeia

Washington – As agências norte-americanas de espionagem “certamente” consideram a Rússia uma possível suspeita de estar por trás da divulgação da gravação de um telefonema na semana passada, no qual uma diplomata dos Estados Unidos depreciava grosseiramente a União Europeia, disse o chefe da inteligência dos Estados Unidos nesta terça-feira.

“Bem, nós não sabemos”, disse o diretor da Inteligência Nacional, James Clapper, quando perguntado durante uma audiência no Senado se o governo russo tinha interceptado uma chamada entre o embaixador dos EUA na Ucrânia e Victoria Nuland, a secretária assistente de Estado e principal diplomata dos EUA para a Europa.

“Eles certamente estariam… na lista de potenciais suspeitos”, acrescentou.

O áudio foi postado no YouTube na semana passada, deixando Victoria em apuros por ter usado um palavrão ao aparentemente depreciar a ideia de confiar na ajuda da União Europeia na negociação de uma solução política para a Ucrânia, depois dos protestos de rua contra o governo pró-Moscou.

O vazamento coincidiu com acusações da Rússia de interferência dos EUA nos assuntos da Ucrânia. O governo norte-americano e países europeus apoiam os manifestantes contrários ao presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovich, um estreito aliado de Moscou.

Autoridades dos EUA não escondem sua crença de que a gravação provavelmente foi feita pelos serviços de inteligência da Rússia, onde Victoria serviu anteriormente em sua carreira diplomática.

Autoridades russas negam envolvimento na escuta e postagem do telefonema na Internet.

A divulgação da conversa veio à tona num momento em que os EUA são alvo de indignação internacional por sua espionagem eletrônica, incluindo de governos estrangeiros, revelada pelo ex-prestador de serviços da Agência de Segurança Nacional (NSA) Edward Snowden no ano passado.

O senador Lindsey Graham, republicano da Carolina do Sul, também perguntou a Clapper se era “justo dizer” que a Rússia está espionando diplomatas dos EUA.

“Acho que essa é uma suposição razoável, sim, senhor”, respondeu Clapper.