Rússia diz ter impedido ataque a arsenal químico

Segundo autoridades, dois suspeitos do Norte do Cáucaso foram presos

Moscou – As autoridades russas disseram nesta terça-feira ter impedido um atentado planejado por radicais islâmicos contra um local de armazenamento e eliminação de armas químicas, e que dois suspeitos do Norte do Cáucaso foram presos.

As autoridades acreditam que os militantes pretendiam colocar uma bomba no arsenal químico de Maradykovsky, cerca de mil quilômetros a nordeste de Moscou, segundo o Comitê Investigativo Federal.

Em nota, o órgão disse que o ataque poderia ter “matado centenas de milhares de pessoas”.

De acordo com as autoridades, os dois suspeitos, de 19 e 21 anos, eram seguidores da seita sunita ultraconservadora wahabita, e haviam se instalado em uma casa abandonada de Kirov para preparar o atentado. “Literatura com conteúdo extremista” teria sido encontrada no local.

Rebeldes islâmicos do Cáucaso frequentemente cometem atentados em Moscou e outras áreas da Rússia, mas um ataque a instalações com armas químicas é algo praticamente inaudito.