RSF pede que morte do fotógrafo mineiro seja esclarecida

Walgney Assis Carvalho foi morto a tiros no domingo em um pesque-pague de Coronel Fabriciano, no Estado de Minas Gerais

Paris – A organização Repórteres sem Fronteiras (RSF) pediu nesta terça-feira às autoridades brasileiras que esclareçam “rapidamente” o assassinato do fotógrafo Walgney Assis Carvalho, morto a tiros no domingo em um pesque-pague de Coronel Fabriciano, no Estado de Minas Gerais.

Assis Carvalho, de 43 anos, se tornou assim o quarto profissional da informação assassinado em 2013 no Brasil.

O fotojornalista trabalhava habitualmente para o jornal “Vale do Aço” e ocasionalmente usava sua câmera a serviço da Polícia Civil, acrescentou RSF em comunicado.

A organização que defende a liberdade de imprensa lembrou que o Brasil continua sendo o país com mais jornalistas mortos por motivos do ofício na América Latina.