Rompimento de cerco de milicianos deixa 15 ucranianos mortos

Outros 79 soldados das forças de Kiev ficaram feridos durante a operação que permitiu que unidades ucranianas atravessassem as posições dos separatistas

Kiev – Sete soldados e oito guardas fronteiriços ucranianos morreram nas últimas horas durante a operação para romper o cerco no qual tinha caído há semanas em uma ampla faixa da fronteira com a Rússia, informou nesta sexta-feira o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional e Defesa da Ucrânia, Andrei Lisenko.

Outros 79 soldados das forças de Kiev ficaram feridos durante a operação que permitiu que várias unidades ucranianas atravessassem as posições dos separatistas após três dias de duros combates e se reunissem com o grosso de suas tropas em território controlado por Kiev.

“Os terroristas sofreram grandes perdas tanto em baixas humanas como em técnica”, ressaltou Lisenko, que não precisou quantos soldados ucranianos conseguiram sair da zona controlada pelos pró-russos.

Os rebeldes, que controlam centenas de quilômetros da fronteira russo-ucraniana, incluindo os principais locais de alfândegas entre os dois países, haviam assegurado que na zona ficaram cercados cerca de cinco mil soldados ucranianos.

Kiev anunciou ontem o início da ofensiva contra as cidades de Donetsk e Lugansk, habitadas por quase 1,5 milhão de pessoas antes do início do conflito armado.

Pelo menos dois civis morreram nas últimas 24 horas em consequências de ataques maciços com fogo de artilharia contra o centro de Donetsk.