Romney defende em Virgínia mais empregos e menos impostos

Viagem teve três paradas, uma delas em Doswell, uma cidade de tradição agrícola

Doswell (EUA.) – O candidato republicano à Casa Branca, Mitt Romney, repetiu nesta quinta-feira aos eleitores de Virgínia, um dos estados fundamentais para decidir a disputa, duas de suas promessas de campanha, mais empregos e menos impostos.

Após ter cancelado uma visita a este estado no domingo passado após a chegada da tempestade Sandy nos Estados Unidos, Romney realizou hoje uma viagem pela Virgínia com três paradas, uma delas em Doswell, uma cidade de tradição agrícola.

O republicano escolheu um pavilhão agrícola de Doswell para fazer seu comício e quando entrou nele com seu ônibus de campanha as televisões do local mostraram a palavra ”emprego”.

No começo do discurso de Romney um homem começou a gritar para que a mudança climática fosse incluída na agenda eleitoral e foi tirado imediatamente do recinto pela segurança enquanto era vaiado pelo público.

Romney repete discurso após discurso que criará 12 milhões de empregos em quatro anos e hoje afirmou que começará pelo setor manufatureiro e energético, o que segundo sua opinião ajudará a gerar postos de trabalho em outras áreas.

”Não vou aumentar os impostos para os pequenos negócios nem para a classe média”, enfatizou para as 500 pessoas que foram assistir seu comício.

Romney também aproveitou para atacar o presidente e candidato democrata Barack Obama por sua ideia de criar um ”secretário (ministro) de negócios”.


”Não necessitamos de um secretário de negócios. Necessitamos de um presidente que entenda de negócios”, disse Romney ao criticar comentários de Obama feitos em uma entrevista da cadeia ”MSNBC” transmitida na segunda-feira.

Obama afirmou na ocasião que gostaria ter em seu gabinete uma pessoa dedicada a supervisionar os programas do governo destinados a criar empregos, impulsionar o comércio e ajudar o pequeno empresário. ”Deveríamos ter um secretário de negócios”, opinou o presidente.

Romney citou durante toda a campanha seu êxito como homem de negócios na década de 90, quando dirigia a empresa de consultoria e de investimentos Bain Capital, e acusou Obama de falta de experiência no assunto para recuperar a economia após a crise de 2008.

”Com Obama só tivemos impostos e mais impostos e nossa economia atualmente é um desastre. Isto mudará com Romney”, disse à agência Efe Dan Currie, de 67 anos, morador da Virgínia e que foi com sua esposa ao comício.

Segundo ele, Romney ”sabe como lidar com a economia, é um bem-sucedido homem de negócios e saberá voltar a colocar os Estados Unidos onde ele deve estar”.


Esta é a mesma opinião de Judy Kaiper, de 43 anos, que foi com seu bebê e seu marido ao ato para ver ”o próximo presidente dos Estados Unidos”. Romney fará com que ”as grandes companhias não tenham medo de investir e que as pessoas tenham mais empregos”, disse Judy. ”Sou estudante, me preocupa o desemprego”, disse Ronald Jason, de 25 anos, um dos poucos eleitores indecisos que assistiu o ato em Doswell.

Uma das causas do alto desemprego, situado em 7,8%, é que muitas empresas estão ”paralisadas, não podem se movimentar, porque sabem que no fim do ano vão ter que pagar um monte de impostos”, disse à Efe Ric Kaiper, de 43 anos.

Segundo sua opinião, se Romney chegar a Casa Branca dará ”mais confiança para as companhias para que elas possam empregar mais gente”, e se mais pessoas trabalham, ”haverá mais impostos e o governo terá mais dinheiro”.

Kaiper, da mesma forma que outros de seus amigos, envolveu-se ”pela primeira vez” nesta campanha participando de atos de apoio a Romney para que os republicanos recuperem Virgínia, um estado de tradição conservadora onde Obama ganhou em 2008.

Segundo o site de política ”RealClearPolitics”, que elabora uma média diária das principais pesquisas, Romney tem agora meio ponto de vantagem sobre Obama em intenções de voto na Virgínia.