Romney culpa políticas ‘fracassadas’ de Obama por desemprego

O aumento de um décimo no índice de desemprego de junho para julho reflete "um extraordinário fracasso da política (de Obama) e de sua liderança", declarou Romney

Washington – O virtual candidato presidencial republicano, Mitt Romney, culpou nesta sexta-feira o que chamou de “fracassadas” políticas do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pelo aumento da taxa de desemprego em julho, que subiu para 8,3% apesar de terem sido criados mais empregos do que se esperava.

“Estes números não são somente estatísticas. São pessoas reais, sofrendo realmente e enfrentando tempos difíceis”, disse Romney em um comício em Las Vegas, em Nevada, estado que tem uma taxa de desemprego superior à média nacional.

O aumento de um décimo no índice de desemprego de junho para julho reflete “um extraordinário fracasso da política (de Obama) e de sua liderança”, declarou Romney, que falou em Las Vegas ao mesmo tempo em que o presidente discursava na Casa Branca sobre seu plano para estender os cortes tributários à classe média.

Os dados de desemprego nos EUA em julho apresentaram sinais mistos, com a alta na taxa de desemprego contrastando com o aumento superior ao esperado na criação de novos empregos.

A taxa de 8,3% é a mais alta desde o último mês de fevereiro, um décimo acima do 8,2% previsto pelos analistas, e já se mantém acima de 8% por mais de 42 meses.

No entanto, o número de criação de novos empregos (163 mil) em julho foi o melhor desde fevereiro.

As políticas de Obama, entre elas a reforma da saúde, “fazem com que os Estados Unidos não sejam tão forte como deve ser para nós, para nossos filhos e para o mundo”, opinou Romney.

Antes de seu discurso em Nevada, um estado dos considerados decisivos para as eleições presidenciais de novembro, a campanha de Romney ressaltou em comunicado que o aumento da taxa de desemprego em julho “é um novo golpe para as famílias de classe média que estão lutando”.

Romney, que será nomeado oficialmente candidato presidencial republicano na convenção de seu partido em Tampa (Flórida) no final de agosto, centrou boa parte de sua campanha em denunciar que Obama não foi capaz de encaminhar a economia após a crise.

Há pouco mais de três meses para as eleições do dia 6 de novembro, o desemprego e a situação econômica geral são as maiores preocupações dos eleitores.