Rio+20 é o maior evento da história da ONU, diz porta-voz

A porta-voz da ONU adiantou que, ao longo do evento, foram feitos quase 700 compromissos voluntários

Rio de Janeiro – Com um público quase três vezes maior do que a Rio92, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio+20, já é o maior evento da história da organização multilateral. Durante os dez dias do encontro, que termina hoje (22) no Riocentro, zona oeste da capital fluminense, cerca de 45,4 mil pessoas foram credenciadas, segundo informou a porta-voz da conferência, Pragati Pascale.

Ela destacou que, desse total, quase 11 mil foram emitidos para delegações de diversos países, aproximadamente 10 mil para organizações não governamentais e representantes da sociedade civil, mais de 4 mil para profissionais da imprensa e 4,3 mil para contingente de segurança.

Ainda segundo Pragati Pascale, mais de 50 milhões de pessoas acessaram o site da conferência. Somente no twitter em inglês, a hashtag Rio+20 apareceu mais de 1 bilhão de vezes e a plataforma brasileira sobre o evento teve mais de 1 milhão de acessos.

“Isso indica a mobilização positiva que o evento gerou, que já produziu uma enorme quantidade de ações para o desenvolvimento sustentável”, disse.

A porta-voz da ONU adiantou que, ao longo do evento, foram feitos quase 700 compromissos voluntários “incluindo o assumido por várias entidades de investir US$ 175 bilhões em transporte sustentável e mais de US$ 50 bilhões no Programa Energia para Todos”.

O chefe de comunicação da divisão de desenvolvimento sustentável da ONU, Nikhil Chandavarkar, acrescentou que os números de participação do evento indicam uma maior conscientização popular sobre o desenvolvimento sustentável.

“A maioria dos participantes foi da sociedade civil e essa abertura foi reforçada pelos Diálogos Sustentáveis, que atraíram aproximadamente 2 mil pessoas que não estavam credenciadas e também foram admitidas. Nem Rio92, nem Copenhagen foi desse tamanho”, avaliou.

Os Diálogos Sustentáveis, propostos pelo governo brasileiro, foram encontros, durante a Rio+20, entre representantes de organizações não governamentais (ONGs), movimentos sociais e integrantes da sociedade civil que serviram para definir 30 sugestões ao documento final da conferência. Todas as recomendações foram encaminhadas aos líderes políticos.